fbpx

O que fazer em Amsterdam: atrações, onde ficar e dicas

Veja o que fazer em Amsterdam, cidade romântica, jovem, progressista e acolhedora, capital dos Países Baixos, um dos destinos mais famosos entre viajantes brasileiros que visitam a Europa.

Amsterdam, Holanda

Amsterdam-se: perder-se entre os canais de Amsterdam deveria estar em uma lista de coisas para se fazer antes de morrer.

PORQUE VISITAR AMSTERDAM

O difícil seria achar um motivo para não visitar. Quem sabe o clima? Quase sempre frio e chuvoso, não é o favorito entre os turistas, é verdade, mas tentar driblar esse clima inóspito transformou a Holanda no segundo país que mais investe em tecnologia agrícola do mundo e suas famosas ventanias fizeram do país um ícone da geração de energia eólica (sabe os moinhos de vento?).

Amsterdam na Holanda

Seus grandes museus, excelentes restaurantes e exuberantes campos de tulipas; seu trânsito inteligente, sua noite vibrante e sua arquitetura peculiar são motivos suficientes para valer uma visita a Amsterdam.

Amsterdam na Holanda

A linda Amsterdam, com seus belos canais e bela arquitetura, é um país evoluído social e culturalmente. Possui transporte público, saúde e educação de alta qualidade e tabus que ainda existem em boa parte do resto do mundo já foram superados por lá.

Mas se você ainda não se convenceu, Amsterdam é notável pelo respeito ao meio ambiente, às diferenças e liberdades individuais, pela igualdade social e, claro, pelo espírito cosmopolita e progressista de sua gente. Além disso, parte da cidade (o Cinturão dos Canais) foi declarada como patrimônio cultural da UNESCO em 2010.

E aqui vai um dos principais motivos pelos quais amamos a Holanda: está entre os cinco países mais seguros da Europa e entre os 16 mais seguros do mundo.

Amsterdam na Holanda

Amsterdam é uma cidade diferenciada de qualquer outra que você já visitou. Seus meios de transporte não são poluentes, sendo a bicicleta o mais popular. Vistas espetaculares e arquitetura diversificada, podem  ser apreciadas a partir dos canais.

É uma cidade aberta, multicultural e cosmopolita. Amsterdam é conhecida por seu caráter multirracial, inclusiva e acolhedor. Em sua história, sempre estreitamente ligada ao comércio, são acostumados a receber pessoas de todo o mundo.

É verdade que muita gente, principalmente jovens europeus, vão a Amsterdam interessados nas liberdades que o país garante, como permissão de uso de algumas drogas e a prostituição. Uma das coisas que mais atraem alguns turistas são os coffee shops onde a maconha pode ser consumida sem o menor problema. Entretanto, para a imensa maioria dos visitantes o binômio sexo-drogas é quase irrelevante, rendendo no máximo um passeio rápido ao bairro da Luz Vermelha e fotos do lado de fora de algum dos coffe shops.

PLANEJAMENTO DA VIAGEM

Como chegar em Amsterdam

1) AVIÃO

Amsterdam é uma das melhores opções para a primeira parada na Europa. Com voos diretos saindo de São Paulo, é uma das opções mais baratas e confortáveis.

A KLM tem um ótimo atendimento, a comida é boa e farta e a maioria dos voos tem wi-fi on demand. Se você já está na Europa, pode encontrar voos baratos nas companhias low cost, como a EasyJet e Vueling.

Vale lembrar que essas empresas low cost oferecem ótimos preços, desde que você não tenha bagagem a ser despachada. O preço cobrado pela bagagem de porão muitas vezes é maior que o da própria passagem. Se você está cheio de malas, talvez seja melhor considerar ir por terra.

2) TREM

Além de não pagar um valor elevado pela bagagem, viajar de trem agrega uma praticidade a se considerar. Os aeroportos da Europa são bem distantes do centro das cidades e dependendo do meio que você escolher usar para chegar até o aeroporto, pode sair bem caro e demandar bastante tempo.

De trem, você embarca no centro da cidade de origem e desembarca no centro da cidade de destino.

Pegando o trem de alta velocidade, o trajeto pode ser surpreendentemente rápido e barato, mas se você pretende usar esse meio de transporte, é bom se planejar com meses de antecedência.

As passagens se esgotam rápido e podem custar três vezes mais se você deixar para a última hora. Os trens convencionais são bem mais baratos e podem ser uma opção para os viajantes que gostam de improvisar.

Uma stalkeada no site da da Eurostar (via Londres ou Paris) e da Thalys (via Paris ou Bruxelas) pode te ajudar.

3) ÔNIBUS

Mas a verdadeira viagem econômica europeia é de ônibus. Na Flixbus você pode encontrar ótimas opções para chegar a Amsterdam. Indo de ônibus, você também desembarcará no centro da cidade, ou quase, dependendo da sua escolha.

O site Omio é ótimo para pesquisar e reservar passagens de ônibustrem e avião dentro da Europa. Trata-se de um portal comparador de preços que mostra as opções aéreas, rodoviárias e ferroviárias para o trajeto pesquisado. O site tem a versão em português (de Portugal) e é de fácil utilização.

MOEDA E LÍNGUA

Os Países Baixos – conhecidos carinhosamente como Holanda – fazem parte da zona do euro. O Holandês (ou Dutch, em Inglês) é o idioma oficial, mas o Inglês é ensinado em todas as escolas e, pelo menos em Amsterdam, a maioria esmagadora da população fala o idioma tão bem quanto holandês (sério, o Inglês deles é impressionante).

MOBILIDADE URBANA

Estamos em uma cidade referência em mobilidade urbana, recursos renováveis e qualidade de vida.

O transporte público é muito eficiente, mas não se pode pagar em dinheiro. A dica é comprar o cartão OV-Chipkaart e aí é simples: passa no sensor ao entrar e ao sair do trem, tram ou ônibus. Não se esqueça desse procedimento, sob pena de poder passar vergonha e pagar uma baita multa.

Mas se você ficar na região central, provavelmente seus meios de transporte favoritos serão as suas pernas e a sua bike.

Bicicletas em Amasterdam
Ciclistas no centro de Amsterdam.

O trânsito da cidade é todo estruturado em torno das bicicletas. Sabe o carro no Brasil? É o equivalente às bicicletas na Holanda. Lá é assim: o carro dá preferência para a bicicleta passar e a bicicleta dá preferência para o pedestre. Leve essa regra a sério.

Onde ficar em Amsterdam

Hospedagem em Amsterdam é extremamente cara e os preços são no mesmo nível de Londres e Paris. A verdade é que Amsterdam é a sexta cidade mais cara da Europa, segundo o Mercer’s 2021 Ranking. Por isso, a maioria dos mortais acaba se hospedando nos hostels – e a cidade tem excelentes opções – ou usam Airbnb.

As opções de hostels no centro da cidade são numerosas. Como já era de se imaginar, costuma ter uma atmosfera jovem e descolada. Fumar no quarto é proibido, mas nas áreas comuns pode ser permitido. Sim, estamos falando de maconha.

Se você curte essa vibe badalada, o St Christopher’s at the Winston e o Flying Pig Downtown Hostel não vão te decepcionar! E a localização dos dois é a melhor para quem quiser explorar a cidade a pé. O St. Chsitopher’s fica no Red Light District, baby!

Para quem quer um hostel mais tranquilo, distante da badalação e com atmosfera chic, recomendamos o Generator Hostel, que fica basicamente dentro do Oosterpark, local da nossa hospedagem na primeira vez em Amsterdam, em janeiro de 2013.

Outro hostel que já nos hospedamos é o Hans Brinker Budget Hotel, um dos mais baratos da cidade. Existe um restaurante/bar dentro do hostel com ótimos preços tanto das refeições quanto das bebidas. Todos os dias acontece a Happy Hour, onde você compra um Chopp e leva dois, além dos alguns pratos serem vendidos com preços promocionais. A localização é excelente, sendo possível ir a todos os pontos de interesse da cidade caminhando.

Mas se você está numa viagem romântica ou pode gastar um pouco mais, o XO Hotel Van Gogh é um charme, fica ao lado do Voldelpark, o parque mais famoso da cidade, em uma região repleta de arte, bem perto do Rijksmuseum.

O que fazer em Amsterdam

O RIO AMSTEL

Os holandeses constroem grandes sistemas hidráulicos desde a Idade Média. Foi nessa época que eles desviaram o curso de dois rios formando um grande rio chamado Amstel. Amsterdam existe porque o Rio Amstel existe. No século XIII, foi construída uma barragem (dam, em Inglês) sobre o Rio Amstel, dando o nome (Amstel + dam = Amsterdam) ao povoado de pescadores que se formou em suas margens.

Rio Amstel

E por falar nas margens do Rio Amstel, é ali que fica um dos parques mais famosos da cidade: o Amstelpark.

AMSTELPARK

O Amstelpark fica às margens do Rio Amstel. É possível pedalar pelas margens do rio, que é tão limpo que, no verão, as pessoas nadam nele. Por ali, você pode ver uma das peculiaridades arquitetônicas de Amsterdam: as casas-barco, que foram construídas sobre plataformas flutuantes nos canais para resolver o problema de moradia da cidade. Mas não se engane! Algumas delas são caríssimas e consideradas verdadeiras relíquias.

Amstelpark

Contando com vários jardins, inúmeras atrações para crianças, um café, um restaurante e um mini-golf, o Amstelpark é um dos maiores parques de Amsterdam.

Vondelpark

Uma das principais atrações da cidade é o Vondelpark. É o mais conhecido parque de Amsterdam e fica bem no centro da cidade. Os moradores utilizam o parque para passear com seus lindos cachorros, caminhar, correr, andar de bicicleta e praticar esportes em geral. Alguns também vão para lá para fumar maconha, o que normalmente acontece em áreas mais isoladas.

 Vondelpark em Amsterdam

Os holandeses amam os parques! Eles são bem frequentados em qualquer época do ano. Não pense que uma temperatura de 1 grau cumulado com chuva e vento vá impedir alguém de fazer caminhada, corrida, passear com o cachorro ou pedalar no parque.

No verão, é provável que você se depare com algum show ou teatro de teatro ao céu aberto. Os espetáculos são gratuitos, mas é recomendável fazer uma reserva online para garantir seu lugar, porque pode lotar.

O Voldelpark fica em uma das áreas mais bonitas de Amsterdam. Lá você vai encontrar lojas de grife, como a Louis Vuitton, a Chanel e a Mont Blanc, além do Van Gogh Museum e do Rijksmuseum.

REMBRANDTPARK

O Rembrandpark é enorme, lindo, afastado da agitação do centro da cidade e conta com jardins, playground, pistas para bicicletas, muitos pássaros, coelhos selvagens e uma estátua enorme de um cachorro, que acaba servindo de ponto de orientação, porque ela é tão grande quanto o parque.

Rembrandpark em Amsterdam

Praça dos museus

Na Museumplein, a praça dos museus, estão os três principais museus de Amsterdam: Rijksmuseum, Van Gogh e o Stedelijkmuseum, o museu de arte moderna.

Amsterdam tem museu para todo tipo de gosto. Você encontra desde um museu sobre os famosos canais da cidade até um museu do sexo. Mas nesse ponto, acho importante visitar os clássicos, porque eles são demais!

RIJKSMUSEUM

É simplesmente o Museu Nacional dos Países Baixos. O nome já é praticamente uma intimação para uma visita. O interior do museu tem uma arquitetura deslumbrante e lindos vitrais.

RIJKSMUSEUM em Amsterdam

Lá você encontrará obras de Johannes Vermeer, Rembrandt Harmenszoon Van Rijn e Vincent Van Gogh, entre outros.

MUSEU VAN GOGH

É o segundo museu mais visitado de Amsterdam, perdendo apenas para o Rijksmuseum. Possui a maior coleção de obras de Van Gogh do mundo, mas também conta com obras de alguns de seus contemporâneos, inclusive do célebre pintor francês Claude Monet.

MUSEU VAN GOGH

Casa de Anne Frank

Já ouviu falar do livro “O diário de Anne Frank”? Annelies Marie Frank (12 de junho de 1929 – fevereiro de 1945) foi uma adolescente alemã de origem judaica, vítima do Holocausto. Nascida na cidade de Frankfurt, ela viveu grande parte de sua vida em Amsterdã, onde perdeu sua cidadania alemã. Sua fama póstuma deu-se graças aos documentos em que relata suas experiências enquanto vivia escondida num quarto oculto, ao longo da ocupação alemã nos Países Baixos, durante a Segunda Guerra Mundial.

Casa de Anne Frank

A casa onde Anne Frank ficou escondida com sua família até ser morta pelos nazistas transformou-se nesse museu orgânico, interativo, chocante e emocionante no coração de Amsterdam. O sucesso é tanto que você precisa comprar o ingresso online com meses de antecedência, pois está sempre lotado.

Para adoçar um pouco a vida após a visita, recomendamos visitar a Winkel 43, que tem a torta de maçã mais famosa da cidade. Comfort food que fala, né?

OS CANAIS DE AMSTERDAM

Chegamos ao maior símbolo da cidade: o Cinturão dos Canais, declarado como patrimônio cultural da UNESCO em 2010. Inicialmente, foram construídos 4 canais, que eram cortados pelo Rio Amstel.

Cinturão dos Canais

Hoje, são 165 canais, com mais de 1000 pontes sobre eles. Eles são o coração da cidade e, em suas margens, o turismo, o entretenimento, o comércio, a vida se desenvolve. Sabe aquele ditado que diz que o melhor da vida é de graça? Pois é. Andar sem rumo pelos canais está, com certeza, no nosso TOP 5 de Amsterdam!

Cinturão dos Canais

Fazer um passeio de barco pelos canais é quase que obrigatório. Ver a cidade de dentro dos canais é espetacular. Adoramos fazer passeios de barcos e o de Amsterdam é um dos que eu mais gostamos na Europa. Várias empresas fazem diferentes tipos de passeios, sendo que o mais básico custa €15 e tem duração de aproximadamente uma hora e meia.

Durante o inverno, tem o Festival de Luz, com mais de 40 obras de arte iluminadas flutuando sobre a água dos canais, deixando uma atmosfera quase onírica.

A’DAM LOOKOUT

Você pode comprar aqui os ingressos para a melhor experiência de Amsterdam! O A’dam Lookout é bem mais que um rooftop com uma vista panorâmica deslumbrante da cidade.

A’dam Lookout

Ele é basicamente um complexo cultural e gastronômico, com muitas experiências interativas, um restaurante panorâmico que fica particularmente aconchegante no inverno e um balanço que fica bem na beira do terraço e você sente que está voando sobre Amsterdam (os ingressos para o balanço são à parte).

Vista do The A’dam Tower

Dependendo da época, você pode achar um combo de ingressos que inclui a visita ao A’dam e um passeio de 45 minutos de barco até o local da Heineken Experience.

Se perder pela cidade

Se perder nas centenas de canais e pontes de Amsterdam é algo fascinantes. Você pode alugar uma bicicleta ou caminhar e apreciar a arquitetura e a natureza. É interessante que existem muitas casas nos canais e também muitos barcos que são usados como moradia. Atualmente eles abrigam mais de 600 casas-barcos. Esse é com certeza um dos programas mais agradáveis para se fazer na cidade, e o melhor tudo, não custa nada.

Amsterdam, Holanda

Praça Dam

A Damsquare, ou Praça Dam é o coração da cidade, a maioria dos visitantes que passam por Amsterdam acabam conhecendo a praça, mesmo que sem querer. Lá estão o Palácio Real, construção do século XVII de onde o irmão de Napoleão governou os Países Baixos durante a ocupação francesa, além do Obelisco e muita movimentação de locais e turistas.

 Praça Dam

A praça marca o ponto onde estava a primeira barragem do rio Amstel no século XIII. Foi cenário de muitos momentos históricos, abriga o Palácio Real, o Monumento Nacional (um obelisco que foi construído em homenagem aos soldados holandeses que morreram na Segunda Guerra), além do único shopping center da cidade.

Damsquare

Red Light District

O famoso distrito da Luz Vermelha é um dos locais mais visitados pelos turistas, sendo que a maioria só quer mesmo matar a curiosidade. A prostituição é legalizada na Holanda e as prostitutas pagam tributos pelos seus ganhos.

Red Light District

Nesse bairro há uma grande concentração de bares, cafés e é claro, casas de prostituição. As profissionais do sexo ficam se exibindo através de uma “vitrine”. Quando um homem passa pela rua, elas mesmo batem no vidro e os chamam pra uma negociação e quando um cliente entra elas fecham a cortina e realizam o atendimento.

O Red Light está quase sempre lotado, então é bom ficar atento aos pertences. Não há motivo para pânico, apenas fique atento aos batedores de carteira.

Jamais fotografe nas ruas onde estão as mulheres nas cabines de vidro. Muita coisa é tolerada na Holanda, mas isso não!

Você vai encontrar muitos bares e restaurantes nessa região. Ela não é considerada insegura ou imprópria para menores. Os holandeses lidam muito bem com as contradições que convivem ali.

OS COFFEESHOPS

O uso recreativo da maconha é tolerado na Holanda, desde que dentro dos estabelecimentos autorizados, chamados de coffeeshops. “Mas vende café, moça?”. A resposta é sim. No geral, não se vende bebida alcoólica nessas lojas, então o costume é tomar café e comer doces.

coffeeshop em Amsterdam

O Abraxas fica bem ao lado da Praça Dam, tem bons produtos, preço e atendimento. Mas se você quiser tradição e variedade, a escolha definitivamente é o Barney’s Coffeshop.

LEIDSENPLEIN

Nem só de Red Light District vive o turista de Amsterdam – e muito menos os moradores da cidade. A região da Leidsenplein exibe teatros, bares, restaurantes, boates e é bastante frequentada por artistas e pela galera jovem da cidade.

Leidsenplein em Amsterdam

Não faltarão opções para uma noite agitada e bons drinks. Nessa região, mão tem muito como errar, mas deixamos aqui duas sugestões: o Pianobar Maxim e o Jazz Alto Café.

KEUKENHOFF: O PARQUE DAS TULIPAS

E pra fechar, se você estiver na cidade durante a primavera, recomendamos reservar um dia inteiro para visitar o Jardim das Tulipas. Ele é bem extenso e é para ser apreciado com calma. É um dos lugares mais instagramável da cidade.

KEUKENHOFF

Onde comer em Amsterdam

Situado na rua de mesmo nome, o Mercado Albert Cuyp é o maior mercado ao ar livre de Amsterdam. Lá, você pode encontrar roupas, acessórios, presentes e muita comida. É um dos melhores lugares para comer stroopwafel (famosos waffles recheados com calda de açúcar e especiarias), porque são quentinhos e feitos na hora.

E os queijos? Os queijos holandeses são um prazer à parte. Nas ruas do centro, você encontra várias lojinhas onde você pode experimentar toda a variedade de queijos da loja. Mas as banquinhas de queijo do mercado ainda são as queridinhas de muita gente.

Os bitterballens talvez sejam o petisco holandês mais famoso. É um croquete de forma arredondada, recheado com um ragu de carne e servido com mostarda.

Dicas para economizar em Amsterdam

  • Você vai se assustar com os preços em Amsterdam. O custo para o viajante lá se compara com o de Londres e de Paris. A principal forma de economizar por lá é evitar os passeios pagos. Excluindo o que só pode ser visto em Amsterdam, como a casa de Anne Frank, você pode deixar para fazer em outra cidade. Por exemplo, Londres está cheia de museus gratuitos, então deixe para visitar museus quando estiver em Londres ou mesmo o Louvre em Paris que tem ingressos acessíveis, já que os museus de Amsterdam tem preços altíssimos.
  • Os passeios de barco pelos canais são feito por diversas empresas, então compare bem os preços pois tem opções mais caras e mais baratas.
  • Se alimentar na cidade é algo muito caro. A dica é comprar lanches, sanduíches e saladas nos supermercados e em último caso recorrer as redes de Fast-food.

No blog Fora da Zona de Conforto você encontra uma lista das 15 coisas mais importantes que você deve saber ao visitar Amsterdã. O blog Lets Fly Away tem um post muito interessante sobre 9 mitos e verdades sobre a Holanda.


Leia também

Eurotrip: planejamento, roteiros e dicas para economizar

Documentos necessários para viajar para Europa

Como funciona a imigração na Europa

Qual moeda levar para Europa

Paris: o que fazer, roteiros, onde ficar, dicas para economizar

VIAJE POR CONTA PRÓPRIA E ECONOMIZE MUITO!
Reserve hospedagem no Booking.com
Seguro Viagem com desconto em Segurospromo
Alugue um carro em Rentcars
Passagens aéreas promocionais em Passagens Promo
Passeios em Santiago e no Atacama com TourGo
Tours pela América do sul em Denomades.com
Passagens de ônibus, trem e avião dentro da Europa em Omio
Ingressos e passeios pelo mundo em GetYourGuide
Chip Internacional com 5% de desconto em America Chip
Chip Internacional com frete grátis em EasySIM4U
Chip Internacional da Viaje Conectado com 10%OFF cupom PROMO10

4 comentários

  1. Mariano Farias 21/04/2017
    • Mochilão Barato 21/04/2017
  2. Ed 28/05/2017
    • Mochilão Barato 28/05/2017

Deixe um comentário